sábado, setembro 15, 2012

ROSH HASHANÁ - Ano 5773





A partir do anoitecer do dia 16 de setembro de 2012 inicia-se o ano 5773. É tempo de refletir e se arrepender dos pecados, focar na introspecção e na reflexão. 

Rosh Hashaná,  o dia em que Deus criou o mundo e concentra quatro grandes temas que se interligam. São eles:o Ano Novo judaico,o dia do julgamento,o dia da lembrança e o dia do toque do shofar

Deus criou a humanidade no primeiro dia do mês Tishrei. Sendo assim, o Rosh Hashaná comemora a criação de toda a humanidade. É um tempo de limpeza e renovação, uma chance de receber perdão e de recomeçar sem pecados. A importância da data  reflete-se em seus dois dias de observância; (a maioria dos feriados judeus é celebrada durante um dia apenas)

Rosh Hashaná é o dia do julgamento. A vida de um judeu depende de se ele toma ou não a decisão de fazer correções durante o período do Grande Feriado através do arrependimento (teshuvah), da oração (tfiloh), e da caridade (tzedakah). Este é um momento chave, um tempo para reflexão sobre os erros cometidos, e de decidir perante Deus não repeti-los no próximo ano. Também é uma celebração ao livre arbítrio do homem - tomando a decisão consciente de olhar para dentro de si mesmo, verdadeiramente, ver a sua própria vida e fazer as correções necessárias.

Ao exercitar esta escolha que lhe foi dada por Deus, o homem se faz merecedor da misericórdia Divina.Rosh Hashaná relembra o quase sacrifício de Isaac, acontecido no primeiro dia do mês de Tishrei.

Segundo a Bíblia, Deus ordenou a Abraão, pai de Isaac, a sacrificar seu único filho[1] como oferenda. Abraão então constrói um altar e se prepara para sacrificar o seu filho para provar sua obediência e fé em Deus[2]. No último momento, um anjo portador da vontade de Deus impediu Abraão de matar Isaac, e apontou para um carneiro preso pelos chifres em um arbusto próximo. O anjo disse a Abraão para sacrificar o carneiro no lugar de Isaac[3].

Como resultado, Deus abençoou Abraão. Esta história é recordada durante o Rosh Hashaná para lembrar aos judeus que a submissão diante de Deus é o caminho para alcançar a Sua piedade, e que os verdadeiramente virtuosos não questionam a vontade Dele. Eles agem como Deus manda e são recompensados por sua fé.O último dos principais símbolos do Rosh Hashaná é o shofar, que é um instrumento de sopro feito de chifre de carneiro. O dia do toque do shofar tem várias implicações, mas existem pelo menos três significados amplamente reconhecidos. Um é relembrar a história de Isaac - Deus poupando sua vida como recompensa à fé de Abraão, o outro, para recordar o carneiro que foi sacrificado no lugar de Isaac.Além de rememorar a história de Isaac, o shofar também traz à mente uma coroação. Pelo fato de o Rosh Hashaná ser uma celebração da criação dos seres humanos, ele também é a celebração do reinado de Deus sobre os homens. O toque do shofar anuncia e reafirma Deus como governante de toda a humanidade. O som como de uma trombeta do shofar também serve para agitar a alma de todos os judeus, para acordar o povo judaico para a onipotência e onipresença de Deus, para a chance de receber Sua piedade através da oração e do arrependimento.


Para ouvir o som do shofar visite este site (em inglês) do Torah Tots e mova a tela para baixo até "O Shofar".

[1] Êxodo 22:2 Prosseguiu Deus: Toma agora teu filho; o teu único filho, Isaque, a quem amas; vai à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre um dos montes que te hei de mostrar.
[2] Êxodo 22:6 Tomou, pois, Abraão a lenha do holocausto e a pôs sobre Isaque, seu filho; tomou também na mão o fogo e o cutelo, e foram caminhando juntos.
[3] Êxodo 22:12 Então disse o anjo: Não estendas a mão sobre o mancebo, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, visto que não me negaste teu filho, o teu único filho.
- Setembro 2012 -





Mensagem do Presidente do Estado de Israel, Shimon Peres, para as Comunidades Judaicas na Diáspora por Ocasião do 5773º Ano Novo Judaico


Estamos no limiar do Ano Novo e é com imenso prazer que transmito as minhas sinceras felicitações a todas as Comunidades Judaicas ao redor do mundo, não apenas em meu nome, mas também em nome de todos os irmãos em Israel, ansiosos para embarcar em mais um ano repleto de esperança e otimismo.

Como um país pequeno, com tão poucos recursos naturais, estamos duplamente orgulhosos dos recursos humanos que Israel tem gerado e que representam o capital mais valioso que um país pode aspirar. Do nosso solo brotaram Prêmios Nobel e os espíritos de inovação, criatividade e ousadia. Estas conquistas nos colocaram na vanguarda dos avanços científicos e tecnológicos e nos fizeram ser conhecidos como “nação startup”. Nós enfrentamos questões como a escassez de água e alimentos através do desenvolvimento de soluções inovadoras em pesquisa e desenvolvimento e continuamos a explorar novas fronteiras que irão revolucionar a nossa vida, como as pesquisas neurológicas, que prometem desvendar os mistérios ainda não decifrados do cérebro humano e melhorar o bem-estar da humanidade.

Olhamos para as Comunidades Judaicas de todo o mundo não só como nossa família, mas também como nossos parceiros plenos. Sinto que é imperativo que nossas profundas ligações judaicas continuam a ser salvaguardadas, cultivadas e prósperas. A nova geração é a promessa de nosso futuro. O seu engajamento à causa da construção de um futuro melhor para os judeus em Israel e em todo o mundo é a chave para o nosso sucesso. Programas educacionais, visitas regulares a Israel, as primeiras experiências e encontros pessoais estão deixando suas marcas e servem para construir a ponte que nos une.

Estas pontes estão firmemente enraizadas na herança de valores que partilhamos. Além do compromisso de apoiar uns aos outros, nunca devemos deixar de recordar o nosso dever de melhorar o mundo ao nosso redor, mantendo o conceito judaico fundamental do Tikun Olam. Ao longo da história, o povo judeu tem contribuído para a sociedade com a sua maior aptidão: a insatisfação. Sempre lutando por um amanhã melhor, o nosso povo tem alcançado resultados que nos orgulham. Hoje, nós perpetuamos esse legado através da nossa dedicação aos valores morais, a nossa sede pelo conhecimento e incansável busca pela paz. Esta é a chamada para participar da incessante marcha da humanidade em nosso caminho único, que nos mantém unidos.

Mais uma vez, no amanhecer de um novo ano, sobre as antigas colunas da moralidade, conhecimento e paz, enfrentando os desafios e oportunidades que temos pela frente, olhando para o futuro do nosso povo e do nosso mundo. Nossa união é a nossa âncora, o nosso apelo moral é o nosso vento. Ambos irão nos ajudar a traçar o caminho rumo a um horizonte de crescimento, segurança e bem-estar para o povo Judeu e um futuro melhor para a humanidade em geral.
De Jerusalém, meus amigos, eu desejo ao povo Judeu em todo o mundo um feliz, pacífico, saudável e próspero ano.

Shana Tova u'metuka!


Fonte: PortoWeb/Wikipedia/Rua Judaica

Nenhum comentário: